Gotta Work It!

E dando sequência ao post anterior resolvi postar alguns dos trabalhos de desenvolvimento de coleção que está sendo feito nesse semestre.

Lápis, papel, vetor, cola, tesoura.

Depois de quebrar a cabeça pra definir o shape de acordo com referências da metade do século XVI , no período de Luís XIII, chegou a hora de coordenar as cores. E para me ajudar a formular a cartela contei com a ajuda do ColourLovers.com

Pra quem ainda não conheçe, a dica está dada. Enjoy 😉

***

Nebula

Então.. continuando…

Vou explicar: os primeiros 12 desenhos pra coleção deveriam ser conceituais, mais loucos mesmo.

Daí, a partir disso tivemos que criar mais 24 desenhos ainda conceituais porém usáveis. Dessa vez não de croquis mas das 24 peças separadas e divididas em blocos.

Até aqui tudo ok.

Agora tivemos que desenvolver mais 50 desenhos, no mesmo esquema dos 24 anteriores mas que os completam.

Ok.

Chegou a hora de coordenar a coleção tanto formando looks quanto combinando as cores.

Pra fazer a cartela de cores devemos escolher imagens que representem todo o conceito da coleção de acordo com tudo aquilo que pesquisamos láááá no comecinho sobre o tema, que como já disse é o Renascimento, que ocorreu na metade do século XVI durante o reinado de Luís XIII.

A imagem escolhida pra formular esse conceito, que já vinha desde lá do comecinho do século XVI com Da Vinci, Michellangelo e Sanzio com suas pinturas de caráter religioso e as inúmeras novas descobertas e novos questionamentos sobre o universo ao redor daquela sociedade, fica ilustrada de tal forma:

Nebula

Original Artfacts.

Essa semana descobri o designer americano Matt W Moore na revista Computer Arts e fiquei maravilhada com o estilo das peças dele. Segundo o próprio, suas inspirações são a “geometria abstrata, combinações de cores vibrantes, composições dinâmicas, profundidade e contraste”.

Dá só uma olhadinha no trabalho dele:

mattwmoore

Matt Moore tem 2 décadas de experiência em desenho e pintura e resolveu criar em 2004 a série VectorFunk Series 1 e as ferramentas que utiliza são Illustrator, lápis, papel, tinta aquarela, papel para origami, estilete, cola, tinta acrílica e tinta enamel, além de uma tela em braco.

Na reportagem ele explica as possibilidades, principalmente com as cores e o fazer e desfazer quando se trabalha com desenho digital.

***

O mais bacana dessa revista é que vem com umas páginas sobre como fazer certos efeitos ou um tópico parar criar alguma coisa em softwares específicos.

Nessa parte, seleciono o ilustrador Ben The Illustrator que comentou sobre como usar a ferramenta blend.

E em especial, o Eric Carl que ensina como fazer colagens digitais absurdinhas onde mescla o universo da Moda e do Design como forma de expressão. Ele utiliza temas de caráter político e mescla elementos do passado, distorcendo e retrabalhando para surgir com algo mais autoral.

 

Touchy.

Então.. e sobre a estação pinacoteca: fui lá no final de semana passado visitar a exposição da qual falei aqui pra vocês dos desabrigados e de pessoas que já sofreram algum tipo de situação de abandono.

E nisso, olha que doidera, fiquei emocionada! :~

mesmo… gente.. os desenhos são mt inocentes, são mt humildes. São imagens de burrinhos, na maioria de paisagens ligados ao meio rural, e tem umas escritas e jogos de palavras como por exemplo um dos quadros que diz “Cem palavras. Sem palavras.” e coisas desse tipo.

 

Bem.. achei uma iniciativa boa apesar de ser num espaço relativamente mais escondidinho da Pinacoteca. Mas ok, vamo combinar que public display of tears é uma coisa mt forte. Melhor assim mesmo.

image_preview

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E quem bombou foi:

Chelpa Ferro – Totoro 
Trabalho do grupo Chelpa Ferro, criado especialmente para o Projeto Octógono Arte Contemporânea. Nesta instalação, o grupo, formado por Barrão, Luiz Zerbini e Sergio Mekler, apresenta uma programação musical em grandes caixas de som que sobem e descem, num movimento contínuo, durante oito horas, provocando audições diferenciadas em cada patamar. 
De 25 de janeiro a 29 de março de 2009

 

 

Mas………………………

 

 

Vamo combinar que o show á parte fica por conta do acervo de gravuras, pinturas e uras-uras das décadas de 50 e 60 brasileiras e a galera do concretismo que dá um show em ilusão de ótica, cores e quadradinhos por tudo quanto que é canto. Listras, esculturas cubistas, outra que projeta sombra na parede de tal forma que completa a escultura.
Muito bacana.

 

E as esculturas também são incríveis e a exposição sobre o século XX também. Tem um quadro gigante com uma visão em perspectiva do pavilhão da bienal que quando você chega perto pra observar vê que a linha “pontilhada” na verdade são números! em sequência!!! miltrezentosenoventaeoito e…. miltrezentosenoventaenove e assim por diante!!! hahaha mt bom!!! 

Nessa hora eu pensei “é.. tem gente ou mais ou tão maluca quanto eu!” mt bom!

Podia tirar foto.
Mas a linda aqui está sem máquina digital e nao tinha levado celular. Cheers!

 

Outra coisa…………….

 

Rolou hoje lá na faculdade a Aula Magna com o Tufi Duek.

Ele deu uma palestra sobre Moda, sua marca e sua visão e posicionamento diante do mercado têxtil e mencionou, claro!!!, Marc Jacobs. Só faltou ele falar que a namorada dele (A Casas Bahia’s Heir) abriu uma loja pro cara no Jardins e puxar a sardinha por lado deles.
Mas tá certo né? quem num quer umas férias com o love em Cancun?
Expondo sua idéia clara de que o lado dele é o business de Moda e que ele quer que todo mundo use as roupas dele independente de quem seja, falou-se de Semana de Moda de Nova York.

A-DO-REI a menina que perguntou dele o porquê que ele não está desfilando por lá. Não sei se ele ficou meio puto ou meio sem graça ou uma mistura dos dois.

JE-SU-SA! o cara falou que negou participar da semana e coisa e tal… mas na boa, falou que o que todo mundo quer é estar em NY.

Quanta convicção.

Hello! Não sei quem é esse todo mundo. MAS EU, penso, particularmente em Londres. Europa, benzinhô! Não só pelo fato de ser o berço da cultura da humanidade mas também por ser uma das semanas característcicas dos novos talentos saídos da Saint Martin School. Faculdade em que grandes nomes como Estella McCartney, Alexander McQueen, GarethPugh, Christopher Kane entre outros estão atrelados. E nomes também como Vivienne Westwood estão ligados á cena londrina. muito bem, obrigado.

Mas sei lá ne… hoje em dia com o Francisco Costa na CK.

O próprio Tufi apontou os pontos sobre trabalhar para alguém e não ser dono de coisa alguma (sempre exemplos de estilistas que trabalham pra grandes maisons francesas e européias de forma em geral.) e tudo mais. E ainda ferveu soltando frases entrelinhadas de efeito como “Vai trabalhar!” 

Brainstorm do momento: Ck – Jeans wear- Ready to wear.
Acho kinda boring essa coisa de ready to wear. E o perfil inserido por lá.

Mounsier Largerfeld já dizia: “Its not about when, but how.”

Então, vamos refletir.

Contemporary Art.

A RFC (Rubell Family Collection) é dita a maior e mais importante coleção de arte contemporânea dos EUA, que pertence á família Rubell desde 1964.

Até 30 de maio está rolando na Miami Art Basel a exposição 30 Americans.

Procurando pelo trabalho de um dos artistas, David Hammons, achei outros nomes, que não estão incluídos nessa exposição mas que tem trabalhos interessantissímos! Um pouco de fresh air pra voces:

totemhammons2
David Hammons


Robert Therrien


Malia Jensen

***

Fashion News….

Hoje o dia rendeu boas risadas e bons suspiros (ahh!! adoro.)

Mesmo com o calor infernal na rua, fui andando até o shopping Leblon pra ver se tinha uma loja da Apple por lá pra trocar meu iPod.

Nisso, passei na banca de revista que tem no andar antes do primeiro e babei um “pouquinho” pela edição de novembro/dezembro (ou seria dezembro/janeiro?) da SportsWear. Só looks urbanos incriiiveis, dos mais rockers aos mais american apparel de ser… sapatos sapatos e mais tênis e rasteirinhas incriveis.
Pela baghatela de 125 reais você leva a revistinha tuda pra casa. (ouch!)

***

Outra que adoooro é a *Lounge! que vem cheia de novidades sobre a cena eletrônica, novidades de festas com os deejays mais queridetes que tocam sons que fazem a galera pirar e dançar na pixxxtenha atééé o sol raiar.
E não tem jeito: Amy-a ou Deixe-a! A musa crazy crazy estampa, lindamente, a capa da revista que trás também uma reportagem/entrevista sobre a moça, que não li mas assim q eu ler eu comento aqui no lbog com vocês.

***

E o SPFW? que tá bombando… Dona Gisele já deu suas voltinhas na passarela em looks monocromáticos perfeitos pela Colcci, e vamo combinar: toda de branco ou toda de preto a mulher arrasa. Eita saúde!

Minha vida por um estágiozaço lá no pavilhão. (sem uniforme, please!)
Nessa área de informação, jornalismo de Moda… ai, tuda!

***

Todo mundo animado com a volta ás aulas? Novos cursos? Novos freelas? Trabalho fixo, graças a deus?

***

E um querido amigo super estilo underground hip hop (adooooro) me enviou um flickr muito bacana com fotitas motivadoras. Ai gente, viva ao mundo lúdico que a Moda proporciona!

Selecionei algumas fotos, que foram as que mais capturaram meu olhar:

3191414258_7db3c75555

3191415756_822204bc661

3191416570_072ce8e0f01

3190567783_a38e5a5934

3200480857_68e99aff61

3201294258_4a287afe501

3201324344_7690c9a4f0

3203614678_81544fdf2e

3201324522_c232e01370

3201325218_e928567f0b

3200479753_5d7d201685

3182497143_25e9646b52

3194077860_3962b4e39b

Les Arts Decoratifs.

E segue em Paris a exposição de Sonia Rykiel em cartaz até abril de 2009.
A exposição é um apanhado geral da carreira da estilista em comemoração aos 40 anos da maison, com 220 manequins de modelos desde 1968 até os dias atuais.

Para mais informações:  www.lesartsdecoratifs.fr

sonia-rikiel