O Militarismo seria o Novo Safari?

Vamos às imagens:

ESTILO SAFARI

Se quiser um estilo mais puxado pro Safari escolha:

* Tecidos mais fluidos e brilhosos.

* Botões grandes como fechamento de Trench Coats e Chemisiers.

* Chapéus com abas largas e arredondadas.

* Combine com Estampas florais, orgânicas ou de bichos selvagens (onça, serpente, girafa, …)

* Nos pés garanta suas rasteiras e maxi bijoux como acessórios! Com muita cor e pedraria.

xoxoxoxo

 

ESTILO MILITAR


Se quiser um ar mais puxado pro Militar procure por:

* Tecidos mais durinhos! Estrurados! Pesados.

* Ombreiras.

* O ponto alto aqui é usar ESTE VERDE .

* Lembrar de usar Dragonas!

* COTURNOS!

* Acessórios repletos de tachas e muito couro!

* Fechamentos Orientais nos Trench Coats e Chemisiers.

 

Anúncios

Maiden Britain.

A outra marca voltada para um público mais jovem do estilista libanês Zaid Ghanem se chama Maiden Britain e causa impacto com seu styling cru e visceral.

Os responsáveis pela indentidade visual da marca (através de cartões, etiquetas, convites para desfiles…) são Robert Boon & David Lane do estúdio londrino Inventory, que foi criado em 2008 pela dupla, e já trabalharam pra bandas como Gossip e Super Furry Animals.

Quem quiser dar uma conferida no trabalho dos caras basta acessar:

http://www.inventorystudio.co.uk/

Último dia…

Exposições na Caixa Econômica Federal na Praça da Sé.

em cartaz _ 01

E pra ir no embalo vou ouvindo no meu iPod o som da Little Boots, que tem uma foto dela no myspace usando o mesmo vestido que a Karen O usou na matéria da NYLON do mês passado do Alexander McQueen.

 

karenO

Pra quem curte…

Vai rolar dos dias 13 a 16 de agosto no Centro de Eventos São Luís em São Paulo, a 15º Craft Design uma feira sobre iluminação, móveis, têxteis, utilitários, artesanato contemporâneo entre outras coisas mais.

Pra quem quer saber mais basta acessar: http://www.craftdesign.com.br/


XOXOXO

Outra dica legal é o Centro Cultural São Paulo que abriga uma exposição muito louca sobre fé e de tudo o que vi o que mais gostei foram os quadros de imagens de natureza e os surrealistas porém não menos tenebrosos, trabalhos da Flávia Metzler que ficam tipo num corredorzinho tudo meio macabro mas com uma boa dose de bom humor.

Mostra_CCSP



Karim!

Karim Rashid, renomado designer de nossa geração virá a São Paulo para dar uma palestra em parceria com a Escola São Paulo no dia 3 de agosto.

Agora o mais surpreendente é o precitcho: 50 reais.

É muito barato! eeee!

karim-rashid

Gotta Work It!

E dando sequência ao post anterior resolvi postar alguns dos trabalhos de desenvolvimento de coleção que está sendo feito nesse semestre.

Lápis, papel, vetor, cola, tesoura.

Depois de quebrar a cabeça pra definir o shape de acordo com referências da metade do século XVI , no período de Luís XIII, chegou a hora de coordenar as cores. E para me ajudar a formular a cartela contei com a ajuda do ColourLovers.com

Pra quem ainda não conheçe, a dica está dada. Enjoy 😉

***

Nebula

Então.. continuando…

Vou explicar: os primeiros 12 desenhos pra coleção deveriam ser conceituais, mais loucos mesmo.

Daí, a partir disso tivemos que criar mais 24 desenhos ainda conceituais porém usáveis. Dessa vez não de croquis mas das 24 peças separadas e divididas em blocos.

Até aqui tudo ok.

Agora tivemos que desenvolver mais 50 desenhos, no mesmo esquema dos 24 anteriores mas que os completam.

Ok.

Chegou a hora de coordenar a coleção tanto formando looks quanto combinando as cores.

Pra fazer a cartela de cores devemos escolher imagens que representem todo o conceito da coleção de acordo com tudo aquilo que pesquisamos láááá no comecinho sobre o tema, que como já disse é o Renascimento, que ocorreu na metade do século XVI durante o reinado de Luís XIII.

A imagem escolhida pra formular esse conceito, que já vinha desde lá do comecinho do século XVI com Da Vinci, Michellangelo e Sanzio com suas pinturas de caráter religioso e as inúmeras novas descobertas e novos questionamentos sobre o universo ao redor daquela sociedade, fica ilustrada de tal forma:

Nebula

Original Artfacts.

Essa semana descobri o designer americano Matt W Moore na revista Computer Arts e fiquei maravilhada com o estilo das peças dele. Segundo o próprio, suas inspirações são a “geometria abstrata, combinações de cores vibrantes, composições dinâmicas, profundidade e contraste”.

Dá só uma olhadinha no trabalho dele:

mattwmoore

Matt Moore tem 2 décadas de experiência em desenho e pintura e resolveu criar em 2004 a série VectorFunk Series 1 e as ferramentas que utiliza são Illustrator, lápis, papel, tinta aquarela, papel para origami, estilete, cola, tinta acrílica e tinta enamel, além de uma tela em braco.

Na reportagem ele explica as possibilidades, principalmente com as cores e o fazer e desfazer quando se trabalha com desenho digital.

***

O mais bacana dessa revista é que vem com umas páginas sobre como fazer certos efeitos ou um tópico parar criar alguma coisa em softwares específicos.

Nessa parte, seleciono o ilustrador Ben The Illustrator que comentou sobre como usar a ferramenta blend.

E em especial, o Eric Carl que ensina como fazer colagens digitais absurdinhas onde mescla o universo da Moda e do Design como forma de expressão. Ele utiliza temas de caráter político e mescla elementos do passado, distorcendo e retrabalhando para surgir com algo mais autoral.