Campanha Moda Praia – UOL 2014.

Captura de Tela 2019-02-20 às 03.49.50Captura de Tela 2019-02-20 às 03.50.05Captura de Tela 2019-02-20 às 03.50.16Captura de Tela 2019-02-20 às 03.50.29
Captura de Tela 2019-02-20 às 03.50.40Captura de Tela 2019-02-20 às 03.50.51Captura de Tela 2019-02-20 às 03.51.00
Captura de Tela 2019-02-20 às 03.51.11Captura de Tela 2019-02-20 às 03.51.24Captura de Tela 2019-02-20 às 03.51.38

image1

No guts, no glory. No risk, no reward.

A nova edição da VMan que conta com Kanye West na capa fotografada pelo Kaiser Karl Lagerfeld chegou às bancas (britânicas muito provavelmente…) nessa última terça feira, 8.

O tema da VMan 21 é superação. Passando pelo próprio risk-taker Kanye desde o próximo ator estrelinha de Hollywood, passando por um dos atletas mais agressivos do mundo e um modelo de 21 anos de idade tirado das linhas de frente da guerra.

Lucas Till (Next Action Star):


Bobby Llewellyn (Soccer Player):

Christopher Wetmore (Ex-Marine, now 21-year-old model):

O mais legal é o vídeo produzido para revista, take a look:

Video Eric Johanson
Model Assembly Workers Ford Smith (Ford), Petey Wright (Ford), and Monica Pedro (Women-Direct)

Call it Big!

Pense em drama, em sofisticação, em tamanhos grandes, em impacto e beleza.

Aí sim, você pensa: Ziad Ghanem.

Esse estilista libanês que vive em Londres é certamente o que há de mais fresco na Moda atual. Seu ready-to-wear inspirado no underground, em elementos étnicos e originalidade lança mão de materiais recicláveis e eco-friendly para ter uma pegada de exclusividade barroca.

Em seu desfile Couture de outono/inverno 2010, Zaid colocou nas passarelas tipos exóticos como a modelo de cabeça raspada bem careca mesmo e muito tatuada, a mulher super gorda e os modelos negros bonitões com ares geométricos. Há quem diga que sua característica principal foi mostrar a androgenia misturada a um visual alienígena-intergalático-zumbi.

As fotos de sua coleção sintetizam bem seu conceito e falam por si próprias.

Nada se perde, Tudo se transforma.

No post anterior, no minuto de silêncio, expliquei que perdi uma das minhas bolsas favoritas.

Fazer o que? Transformar isso numa vontade de comprar uma bolsa nova e mais incrível ainda. E tomar juízo ao invés de drinks.

Seguem logo abaixo um link de uma marca de clutchs lindas e diferentes:

http://www.luluguinness.com

(E na boa, vamo combinar que lá na Gilson Martins a gente também acha as bolsinhas em forma de beijinho!)

bags

E alguns modelitos lindos achados pela web.

Enjoy!

Luz! Na passarela que lá vem ela!!!

agyness-vuitton-sprouse

Com vendas marcadas pra começarem no dia 9 de janeiro de 2009, a coleção review da Louis Vouitton em parceria com Stephen Sprouse já está sendo vista circulando por aí nos bracitchos de Agyness Deyn.

São produzidas nos modelos Keepall, Speedy e Neverfull, mas também em uma outra série de objetos como lenços, sapatos, carteiras, porta-moedas… Serão os famosos grafittis que em 2001 eram em branco sobre os monogramas da marca, mas que dessa vez aparecem em flúor nos tons rosa, verde e laranja. E também tem uma estampa de flores grandonas estampadas por cima dos monogramas.

Para os fashionistas de plantão bafo-mór é saber que também irão fazer leggings com a mesma estampa! Imagina, o escândalo!

 

lv

 

 

Street Luxo.

De uns dias pra cá tenho ido a uma livraria (Letras & Expressões) pra folhear as revistas durante a madrugada. É meu horário favorito. 

A livraria entende que tem gente como a gente, vampiros assumidos, que adoooram dar uma voltinha pra espairecer quando a rua está deserta, não tem trânsito nenhum na cidade e não faz calor.

Nisso, costumo passar as páginas das Vogues, Elles, Collezioni entre outras e reparo muito nos detalhes, nas roupas que aparecem em uma e como que aparecem em outra, em objetos de desejo que me fazem perder o ar e a partir disso resolvi anotar as coisas que me chamam atenção nessas revistas.

Minha última descoberta foi  a marca Jitrois.

São peças com um tratamento brilhoso prateado, couro, muito couro, acabamentos envernizados e em cores de tom bem fortes como vermelho cereja, laranja, off white e muito preto.
Saias lápis, saias longas plissadas, bomber-jackets e calças skinny ora coordenadas com saltos altos estilo pumps ora coordenados com all-star de tecido branco! 

Very Very Rock n Roll.

Com excessão aos casacos que parecem ser de pele mas que não se sabe se é sintético ou não. Vai saber…. Só sei que casaco de pele é uma atitude nada rock and roll.

E abaixo segue a foto que estava na revista que me chamou atenção:

jitrois_01

Pretinho Básico. Freud Explica.

Tudo bem que é final de ano e as lojas estão bombando com as vitrines cheias de roupas brancas, prateadas, douradas… e daqui a pouco, principalmente depois do natal vão começar aquelas mesmiçes sobre que roupa usar no final de ano… Aí vem aquela velha história: Verde?! Esperança! Amarelo!? Inshallah!! Khadija quer ouro!!! Vermelho?! Paixão. Rosa.. amor. Branco é de paz.

E vem aquela coisa toda de contestação loucurinha bapho bapho de “que se dane isso tudo, vou de preto!” Num tem sempre uns desses andando pelas ruas, pelas praias no dia do reveillon?

Bem.

Como ainda não é nem Natal, nem Ano Novo, me antecipo aqui e faço um post clássico, que nada tem a ver com ambas comemorações: O pretinho básico.

Conversando com um amigo no msn e me falou que, como uma boa parte dos homens não resiste a uma mulher de vestido. ui!
Daí nisso ele me descreve que gosta de vestido soltinho. Mas vai lá saber que tipo de vestido soltinho é esse! Evasê? Balonê? Demodê? hahaha

E numa pesquisa pelo google fui selecionando alguns modelos que acho incriveis e me vejo usando. Fiquei mega ultra sem graça na verdade de enviar o modelo. Porque é bem girlie no shape, mas pelo fato dele ser pretinho se torna básico e perde a “fofura” escancarada que estaria vinculado a uma cor em tom pastel como um rosinha, azulzinho ou floridinho (leia-se Liberty.)

E aqui vai:

little-black-dress-1

Então, vamos lá analisar os dois modelitos.

Ambos são tomara-que-caia, e esse modelo, a princípio diminui o tamanho do busto.

O primeiro, da esquerda, não tem franzido no busto, o que realmente faz parecer que o peito está menor do que realmente pode ser.
O foco do vestido vai direto pro volume criado na barra, tendo o assim chamado “balonê”.  Esse tipo de modelo é mais ideal pra quem tem pouco quadril, pouco bumbum, pouco culote. e em pernas muito grossas também é de gosto duvidoso.
O charme desse modelo fica por conta do giga laço na cintura que pode ser amarradinho de lado e deixa o look charmoso.
Diria que esse é pras meninas que são assumidamente felizes sem ter que pirar achando que feminilidade é ter 500 ml de silicone em cada peito.
O sapato, um scarpin, de bico fino deixa o look mais sério, mais sóbrio.
Conclusão? De fofito realmente esse look só tem o laço. E a modelo com suas madeixas compridas e onduladas.

Já o segundo modelo, que tem um franzido no busto dá mais volume nessa região e acompanha o formato do seio com um contorno mais arredondado.

Por mais que seja um modelo evasê ele é franzidinho o que o torna mais feminino e marca a cintura que também é um sinal de feminilidade por marcar a silhueta.
A sandália mais pro tom da pele da modelo faz com que ela alongue o corpo dela. É como se tivesse uma continuidade nas pernas até os pés.
As argolas são sempre bem vindas e ganham destaque com os cabelos mezzo-preso mezzo-solto. E elas estão bem no tom da sandália o que harmoniza o resultado.


Lá estou eu imaginando algum vestido que eu tenha ou que esteja numa promoção mais perto de casa pra bater perna por aí e ver se descolo uns olhares do público masculino… hohoho.

É… Se joga e faz a girlie girl.