Repensando…

Acho que essas Teorias que são desenvolvidas com embasamento na Física são boas pra você brisar sem usar drogas sabe? HAUHAUAHAUHAUHAUAHA Porque são mó loucura mesmo… MAS…. Eu acho que é mais por esse caminho mesmo:

https://www.youtube.com/channel/UCmiptCNi7GR1P0H6bp9y0lQ

xoxoxoxoxoox

hmmmmm…..

então cheguei á conclusão de que a mudança do paradigma se utilizando de uma metodologia interdisciplinar com base da utilização da Física ela segue um discurso metafórico para estabelecer uma teoria dessa nova mudança de paradigma porque não faz o menor sentido – real e apriorístico – o que a Física em si estuda e o que a Teoria relata ou seja, é só um discurso metafórico quando eles se relacionam.

Boa boa…

Anúncios

Explode cabeção!!!!!

Então… a muuuuuuito tempo atrás eu lembro que eu não podia estudar porque eu não tinha dinheiro pra entrar na faculdade, então eu trabalhava como garçonete… e eu tinha uma amiga que estudava na Puc-Rio e um dia ela veio e falou pra mim “Maíra existe uma quebra de paradigma” e eu olhei pra ela e falei “Han?” tipo que que vc tá falando? E ela me explicou que a quebra do paradigma era a quebra de um padrão… quando a gente rompia com um padrão. E eu fiquei fascinada com aquilo e guardei aquilo na memória pra sempre.

Nisso eu to na faculdade hoje em dia – Obrigada Senhor! ❤ E olha o que eu achei no livro sobre Meios Adequados de Resolução de Conflitos:

  • A quebra do Paradigma: O sistema pensado para estabelecer um novo padrão da ciência.
    (Na verdade estava escrito assim no livro: “O paradigma sistêmico da ciência e a linguagem do Direito: O lugar da Mediação de Conflitos”)

E o texto segue explicando a Teoria que é essa… Dá uma lida e veja se você ENTENDE A TAL QUEBRA DO PADRÃO: POR QUE EU VOU TE FALAR: A PARADA É LOKA E O PROCESSO É LENTO.

A mediação de conflitos e as práticas restaurativas devem ser aplicadas do novo paradigma da ciência, na condução dos conflitos. Portanto, a compreensão desse novo paradigma, a partir do pensamento sistêmico, é de grande importância na formação dos mediadores de conflitos. E como a mediação de conflitos está relacionada aos procedimentos que validam sentimentos na linguagem de coconstrução de decisões, cuidamos de uma hermenêutica que integra compreensão, interpretação e decisão.

 

O novo paradigma integra sistema e problema, estrutura e função. O sistema é definido como um complexo de elementos em interação; conjunto de componentes em estado de interação. Sistema é, portanto, um “todo” integrado de componentes com tendência a manter-se, mesmo que haja substituição de membros individuais. A interação no sistema dá-se mediante uma causalidade circular, uma influência bidirecional, recursiva. Especialmente em sistemas vivos, essa causalidade comunica-se com o ambiente externo, acarretando substituições de membros individuais, nessas trocas que acontecem em meio à teia da vida que se desdobra e se transforma permanentemente. Pois o “ser” da existência é a metamorfose da ação de existir, tal como nós a compreendemos a cada instante. Não há sistema sem problema ou sistematização sem problematização.

 

O universo conhecido caracteriza-se como uma estrutura escalonada, constituída pela superposição de níveis de sistemas; cada um desses níveis constituindo-se como um todo irredutível aos seus níveis ou componentes inferiores.

 

Os membros individuais de um sistema são, ao mesmo tempo, todo e parte (holons/holograma). Cada holon teria duas tendências: uma integrativa (onda), que atua enquanto parte de um todo maior, expressando a interdependência da integração que faz o sistema viável; outra afirmativa (corpúsculo), que opera como o todo, preservando a sua individualidade e expressando autonomia.
hqdefault
Para uma melhor compreensão da imagem baixar o aplicativo no iOS “The Scale of the Universe 2”.

AQUI VALE RESSALTAR QUE ESSA TEORIA DO PENSAMENTO SISTEMICO JA TINHA SIDO APRESENTADA a mim de uma outra forma por um ex namorado meu que na época ele já era meu ex namorado e até hoje mantemos contato pelas redes sociais e ele faz posts muito interessantes e ele escreveu uma vez “PUT THINGS IN PERSPECTIVE” e colocou exatamente uma foto de várias planetas em escala de tamanhos diferentes e tinha lá um ser humaninho bem pequeninho perto do planeta dando a entender que dentro de um SISTEMA a gente está inserido e somos tão pequenos e que nossos problemas tudo que acontece ao nosso redor de ruim não tem significância nenhuma e que não é pra ficarmos tristes com essas coisas pois somos só um grãozinho de areia perto da imensidão do universo. Achei a mensagem tão forte que guardei isso comigo até hoje.
E lendo essa BRISA do livro hoje EU SUPER ENTENDI AONDE O PENSAMENTO SISTEMICO ESTAVA QUERENDO CHEGAR. ATE PORQUE EU AMO ESTUDAR FISICA, BIOLOGIA E QUIMICA. Por isso que tem essa sugestão de Aplicativo do The Scale of the Universe 2 para entendermos melhor COMO O PENSAMENTO SISTEMICO FUNCIONA!!!
SERIO: É SIMPLESMENTE DEMAIS!!!!!! AAAAAAHHHHHH

Continuando….

A essa ideia de um mundo como totalidade organizada deve ser agregado o conceito de acoplamento estrutural, desenvolvido por Maturana, que explora as “fronteiras” entre sistemas.

 

As fronteiras, as “separações” entre sistemas , devem ser vistas entre aspas, pois os sistemas são, ao mesmo tempo, funções e estruturas que se retroalimentam dialeticamente. Afinal de contas, o que chamamos de sistema é uma idealização do nosso modo de perceber o mundo, um modo simplificado pela racionalização, embora experimentado, medido, sentido, sistematizado; temos, portanto, um significado possível a cada vivência para um significante sempre mais complexo, em metamorfose.

AÍ AQUI EU PENSEI EXATAMENTE SOBRE COMO NOSSO ORGANISMO É constituído de células, e nosso corpo de tecidos e como nós como seres humanos podemos dizer “ENTAO EU SOU UM GRANDE CONJUNTO DE TECIDOS, OU DE ORGAOS OU DE MOLECULAS, OU SEJA EU POSSO ESTUDAR UM SISTEMA COMO A MEDICINA QUE VAI FALAR SOBRE O CORPO HUMANO OU POSSO ESTUDAR UM SISTEMA COMO A FISICA QUANTICA QUE VAI FALAR SOBRE PARTICULAS SUBATOMICAS OU POSSO ESTUDAR DIREITO QUE VAI ME DIZER SOBRE LEIS QUE GOVERNAM O MUNDO OU ATE MESMO A PSICOLOGIA E A RELACAO DESSAS MATERIAS OU SEJA A INTERDEPENDENCIA DE UMA COISA COM A OUTRA É REAL POIS NO DIREITO PENAL NA CRIMINOLOGIA EXISTE A INFLUENCIA DA ANTROPOLOGIA, DA SOCIOLOGIA DA PSICOLOGIA E DE VARIAS AREAS DO CONHECIMENTO PARA A PRODUCAO DE UM CONHECIMENTO CIENTIFICO. E EU ACHEI ISSO AWESOME!”

E Aí veio esse outro parágrafo:

Não não… deixa… to lendo aqui e to escrevendo pro trabalho e to pensando em CADA COISA!!!! GENTE!!!!

JURO… POSSO FALAR UMA COISA PRA VOCES???

ESTUDEEEEEEEEMMMMMM!!!!!!!

Leiam além do que os professores passam no caderno das aulas. das anotações das aulas. sabe? Tipo ah… vou estudar só o que o professor passa na lousa. NAAAAAAAAAAO!!!!

COMPREM LIVROS! LEIAM ARTIGOS CIENTIFICOS!!!! LEEEEEEIAAAAAAM!!!!!!!!

Sério…. ISSO VAI DEIXAR VOCES COM O CEREBRO EXPANDIDO!!!!!!! CHEIO DE NOVAS IDEAIS!!!!!

Daí quando você for lá na Igreja e te perguntarem “Imagine como seria o mundo sem leis?” voce sabe a SUA verdade. Se pra Você o Mundo seria Hobbesiano ou como de Locke…. aí é com você. Ou de acordo com qualquer outra Filosofia…. Mas por exemplo quando o pastor falar Sabia que o Mar Morto não dá vida? CLAROOO que eu ssseeeei porque ele tem SAL PRA CARAMBAAAA!!!!! hahahahahhahaahahahahhhahah

aiiiiii Jesusssss!!!! hahahahhahhhahahaha

MAS Fé é Fé….. MAS NUNCA DEIXEM DE ESTUDAR O MAXIMO POSSIVEL!!! PRA EXPLODIR O CABECAO DE VOCES! CAPISCE? 😉

ah Meu Deus!!! Contradição e Complementariedade!!!!!!!! ❤

Estou muito feliz com o Godllywood.

Entrei no https://www.arcacenter.com.br/ e escolhi o livro do Namoro Blindado para começar a ler porque eu acho que to precisando dar uma oxigenada no cérebro.

Tipo, eu tenho buscado minha libertação todas as sextas feiras na igreja e NOSSA juro por Deus NUNCA ME SENTI TÃO BEM EM TODA MINHA VIDA. Mas eu acho que ainda tem umas coisinhas que eu preciso resolver e me libertar.

Algumas outras se resolveram depois de 6 anos que eu carregava mágoas em relação a determinada pessoa, como num passe de mágicas eu fiz o jejum para a vida espiritual nesse fim de semana e também para buscar o Espírito Santo e muita coisa boa aconteceu.

Mas eu realmente tenho sentido que o Espírito Santo tem se aproximado cada vez mais de mim nesse Jejum de Daniel. Porque por exemplo, eu abandonei as redes sociais por alguns dias, em outros momentos eu as utilizei mas foi só com o intuito de promover a Palavra de Deus… em alguns momentos eu dei uma bela de uma surtada sim mas eu fui buscar orientação e me reconsiderei nas palavras que eu escrevi e me redimi, e também busquei a orientação de Deus na Bíblia para ler o que ele tinha pra dizer pra mim sobre meu comportamento e Deus tinha ficado muito bravo comigo e quando eu li a Bíblia que tem as anotações sobre os versículos no rodapé eu entendi a mensagem que Deus queria passar pra mim e falei “woooow Entendi”. Em fim.

A mensagem que Deus falou pra mim foi mais ou menos assim: “Quanto mais profundo é o abismo de onde fomos tirados, maior deve ser a expressão da nossa FIDELIDADE e do nosso RESPEITO para com Aquele que nos resgatou (DEUS). (…) Diante disso, violar a palavra dada ao Altíssimo significa assumir o risco de se tornar totalmente vulnerável ao mal.”

Sobre os gifts que eu vi no arca center eu vou postar sobre os que eu gostei mais que tem referências chiquérrimas e de muito bom gosto! 😀

https://www.arcacenter.com.br/godllywood/pulseira-godllywood-dourada.html

Por exemplo essa pulseirinha é a cara da pulseira da Tiffany só que é Godllywood. ❤

https://www.arcacenter.com.br/godllywood/chaveiro-godllywood-florido.html

Esse chaveiro é igual a um chaveiro que era dado de brinde junto com uma revista do JK Iguatemi ❤

https://www.arcacenter.com.br/godllywood/livro-interativo-godllywood-amarelo.html

E esse planner é muito fofo! ❤

Repensando.

Bem, depois de toda revolta de ontem eu tinha até desanimado com a Igreja e tudo mais…. estava chateada e tinha dado aquela surtada com as coisas que tinha ouvido mas aí quando chegou hoje no fim do dia, depois de ter passado o dia inteiro ouvindo músicas horríveis e pirando na internet eu resolvi que ia pra Igreja de novo sim. E chamei minha mãe pra ela ir comigo também, porque ia fazer bem pra nós duas.

E nisso a reunião foi muito boa! Eu que cheguei lá revoltada sem querer falar com ninguém e tava de cara fechada e mal humorada e brava e tudo mais, mas depois da sessão de descarrego e do ponto de luz e do passe de luz eu me senti muito leve e como se tivesse tirado todos os sentimentos ruins de dentro do meu corpo. Sei lá, não sei explicar mas é justamente isso: como se a Luz entrasse e as trevas saíssem. Foi tão forte hoje que numa hora que eu recebi uma oração eu achei que ia manifestar. Sinistro. E senti meu corpo queimando. Ou seja, acho que as minhas atitudes de ontem e hoje não foram nem um pouco boas…

E no final da reunião eu conversei com o Pastor e pedi uma orientação sobre a Terapia do Amor porque eu disse que tinha ficado revoltada com o que eu tinha ouvido tipo que eu tinha entendido que o Bispo tinha falado que a gente tinha que abandonar a nossa carreira pra viver o nosso relacionamento mas o Pastor disse que não era isso… que eu não posso ouvir uma coisa NOVA que está sendo me dita e já tirar uma conclusão sobre o assunto, que nem quando a gente tá na escola e aprende uma equação, na primeira aula a gente não vai entender direito… talvez na segunda a gente já veja com outros olhos e depois de 3 meses vendo aquele assunto a gente já tenha outro entendimento sobre o assunto.

Então ele disse que por exemplo, na verdade as pessoas acham que devem investir tudo em estudos e trabalho primeiro pra depois encontrar alguém para ter um relacionamento. E que isso não é verdade. Nada impede uma pessoa de ter um relacionamento antes dela terminar uma faculdade, ou antes dela ter faculdade ou ter um emprego ou coisa desse tipo… porque as pessoas estão hoje em dia mais focadas em Posição, em Emprego e Estudos, Títulos, Certificados para Depois ter um Relacionamento e que isso não é o que realmente faz a diferença.

Não é que temos que abandonar nossa carreira para ter relacionamento, não é isso… o que foi dito é que quando estamos num relacionamento ali pra ter FAMÍLIA as coisas devem ser pensadas em favor do casal e dos filhos e que por exemplo se a mulher tem a carreira dela e o marido tem a carreira dele e vamos supor, um deles recebe uma oportunidade de trabalho em outro estado ou internacional o que deve ser levado em consideração é um acordo que seja benéfico para ambos e para os filhos também. Nesse sentido que falamos que a carreira deve ser levada em consideração em relação á outra pessoa. Não que devemos abrir mão da carreira em prol do relacionamento. Mas sim que as coisas quando estamos em CASAL, ou em Família deve ser boa para AMBOS. Pois é uma PARCERIA.

Por enquanto eu cheguei nessas NOVAS conclusões com a ajuda do Pastor e sendo menos revoltada e de agora em diante eu pretendo seguir a orientação do Pastor sobre não ser mais tão INTOLERANTE sobre NOVAS IDEIAS que me são apresentadas.

Outra coisa que pensei e que ainda não consegui compreender muito bem foi o porque a esposa do Bispo disse que “mulheres de hoje em dia que se acham empoderadas e independentes na verdade são vazias e não tem nada para oferecer”. Mas eu to supondo que seja mais pelo fato de que como a Família seja valorizada, então ela quer dizer que essas mulheres que se julgam empoderadas e independentes acabam por muitas vezes, por exemplo, tendo comportamentos sexuais mais libertários – ou libertinos – e que isso não condiz com o comportamento da Igreja, por exemplo. Isso é só um palpite meu. Mas além disso, essas mulheres tem uma visão de que irão dominar o mundo de forma individualista e esse não é o conceito que a Igreja, nem a Bíblia, dizem que é pra mulher se comportar …. que é justamente isso que está sendo dito nesse post sobre Relacionamento…. de tipo assim a forma como um relacionamento “deveria ser”, porque afinal, nos relacionamos né?

Bom… taquem pedras.

kkkkkkkk.

🙂

Mas até que foi bom ter perdido a aula ontem. ❤

Eu não vou falar NADA.

A única coisa que eu vou dizer é: DEUS É COMIGO.

Essa é a foto de “Depois” da minha mãe. Acabei de tirar.

A foto do “antes” eu achava tão sinistra que eu não queria ter guardada nem no meu celular.

Dia 9 de setembro eu comecei a frequentar a Igreja. Dia 11 de setembro minha mãe começou a tomar uma medicação, mas o tratamento dela está sendo feito como vocês podem acompanhar aqui pelo blog há muito mais tempo.

MEU DEUS TEM PODER!

“A LUZ RESPLANDECE NAS TREVAS, E AS TREVAS NÃO PREVALECERAM CONTRA ELA” (Jo 1:5)

 

Se torne a própria bênção.


Eu VOU FAZER esse trabalho de Meios Adequados de Resolução de Conflitos.

xoxoxoxoxoxoxoxoxoxoxoxo

mas às vezes dá uns apertos no coração que tipo a gente estuda, estuda, estuda e vê que alguns de nossos sonhos são irrealizáveis. 😦

“Poderia a própria sociedade promover, de forma autônoma e difusa, uma solução para o conflito mais justa que a provinda da jurisdição estatal?”

Alguém me responde isso pelo amor de Deus…. porque eu li e pensei “Mano, tipo a sociedade de maneira mais pacífica resolvendo os conflitos sem precisar da atuação do judiciário?” =~ Deu uma bad aqui.

Porque aonde eu vou eu sinto as pessoas com sede de vingança, com sede de “fazer justiça”… justiça retributiva… é meio bad isso.

Até isso de Justiça Divina…. é uma forma de Justiça Retributiva. Tá errado isso.

Sabe, toma lá dá cá. Sabe, eu tô bem, isso que importa o resto foda-se.

Bizarro.

xoxoxoxoxoxoxoxoxoxoxoxo

Bem eu tô aqui estudando e tô procurando as respostas da questão 1 que eu ainda não sei responder… As outras eu já sabia porque como eu comentei aqui antes eu li o livro “Como chegar ao Sim” em 2 dias… mas eu acho que a professora ainda vai explicar a atividade amanhã/hoje na aula. Mas eu já adiantei o trabalho.

(i) O aluno deverá realizar a leitura do capítulo 4 do livro SALLES, Carlos Alberto de; LORENCINI, Marco Antônio Garcia Lopes; SILVA, Paulo Eduardo Alves da (coordenadores). Negociação, mediação e arbitragem – curso básico para programas de graduação em Direito. Rio de Janeiro: Forense; São Paulo: MÉTODO, 2012. Disponível em: https://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/978-85-309-4565-7.

 

Após a leitura, deverá responder as perguntas apresentadas ao final do capítulo, quais sejam:

 

  1. O que significa resolver efetivamente um conflito? Como diferenciar uma resolução ruim de outra boa resolução do conflito: a satisfação das partes, um ideal de justiça ou o melhor aproveitamento da situação de conflito?

 

 

 

  1. Como diferenciar uma negociação que resolve o conflito de uma negociação que cria valor? O que significa “deixar um valor na mesa”? (87 a 97)

Resposta para a primeira pergunta:
A negociação baseada em “geração de valores” também conhecida como a baseada em “princípios” é aquela formulada na Escola de Harvard e que tem por base uma relação duradoura e que envolve uma negociação a longo prazo que vislumbra o futuro, para estreitar os laços, onde vislumbra-se ganhos mútuos. Apenas em casos pontuais será melhor a opção da negociação estritamente distributiva, quando não há uma relação continuada e as partes provavelmente nunca mais se encontrarão.
Como podemos ver em:

“A negociação para resolução de controvérsias tem o aspecto negativo de iniciar-se com base em algo que divide as partes e tem potencial para gerar animosidade e corte de comunicação. Sob esse prisma, ela representa um desafio adicional. Por outro lado, a negociação para criar novos negócios se inicia com uma propensão a olhar um futuro de oportunidades. Por isso, a tendência da negociação para criação de novos negócios é mais positiva do que a negociação para resolução de controvérsias, porque apenas naquela as partes tendem a se comunicar para explorar a possibilidade de ganhos mútuos no futuro. Entretanto, essa análise é simplista e limitadora. A existência de uma disputa e as alternativas à negociação disponíveis às partes criam oportunidades de geração de valor.

 

A negociação estritamente distributiva, quando muito, é adequada para negociações pontuais, nas quais não há uma relação continuada e as partes provavelmente nunca mais se encontrarão. A negociação para criação de valor, por sua vez, é mais adequada às operações continuadas – nas quais as opções criativas são possíveis. Nesses casos, são importantes a boa relação de longo prazo, a confiança e a credibilidade.”

 

Resposta para a segunda pergunta:

 

“Após trabalhar na criação de valor e na negociação distributiva, é importante verificar se não há valor deixado na mesa de negociação – valor este não alcançado para si por nenhuma parte. Alguma questão pode ter ficado de fora do escopo de acordo. Talvez não tenha sido abordada de propósito, por ser muito controvertida. Em outros casos, pode ser um esquecimento. Nesse caso, é importante refletir antecipadamente sobre como gostaria de lidar com o valor que “sobrou” na mesa, mas não se deve impor a solução à outra parte. É mais indicado sugerir que sobrou valor a ser dividido na mesa e perguntar se o outro lado tem alguma ideia sobre como o mesmo pode ser dividido. Se a proposta do outro lado for melhor que a sua, talvez seja o caso de aceitá-la. Se a proposta o decepcionar, talvez seja o caso de sugerir que os padrões do acordo já alcançado se apliquem também ao valor que foi deixado na mesa.”

 

 

  1. Qual o papel do brainstorming na criação de valores na negociação? (87 a 97)

 

Surgir com a perspectiva de compreensão dos interesses de ambas as partes. Assim como a sessão de brainstorming tem como objetivo produzir o máximo de ideias possível para resolver determinado problema. Serve para dissociar o processo de pensar em possíveis soluções do processo de escolher entre elas.
Como podemos ver em:

 

“O processo de criação de ideias requer boa dose de ingenuidade, mas muito cuidado: as partes numa negociação têm a tendência de enxergar qualquer oferta do outro lado com suspeição, fazendo com que a criação de opções encontre uma resistência natural ao se informar de uma parte para outra. Uma maneira interessante de criar opções é a “sessão de ideias” (brainstorming), no qual as partes apresentam tudo o que lhes vem à mente, sem que qualquer um julgue se as ideias são boas ou más e sem que as elas tenham autoria. A partir de uma lista criada em conjunto no brainstorming, pode-se eleger em conjunto as ideias com melhor potencial. A partir daí, começa-se a criar cenários hipotéticos com base nelas. Quando uma ideia encontra resistência, a outra parte deve perguntar “o que haveria de errado com essa ideia?” Assim, revelam-se outros interesses e permite-se a criação de outras ideias e ajustes.”

 

 

  1. Qual a importância de imaginarmos a criação de valores e a distribuição como negociações independentes?

 

Acredito que a importância de a criação de valor, ou seja, a negociação baseada em princípios, e a negociação distributiva serem negociações independentes está justamente na mudança de mentalidade com que negociamos entre as partes (mudança de mentalidade negocial), pois através de técnicas onde priorizamos a concentração nos interesses e não nas posições; a invenção nas opções de ganhos mútuos; a separação das pessoas do problema e insistir em critérios objetivos – quando estamos numa negociação baseada em princípios faz toda a diferença na hora de negociar e atingir resultados mais satisfatórios para ambas as partes com possíveis negociações futuras.

  1. Quando identificar que um acordo é inviável?

 

Você deve considerar a BATNA da outra parte. BATNA – Best Alternative To a Non Agreement. “Você também deve pensar sobre as alternativas disponíveis para o outro lado. Quanto mais você puder descobrir a respeito delas, mais bem preparado estará para a negociação. Conhecendo as alternativas, você pode fazer uma estimativa realista do que esperar da negociação. (…) A BATNA deles pode ser melhor para eles do que qualquer solução justa que você possa imaginar. (…) Em outras palavras, se a BATNA da outra parte é tão boa que eles não veem necessidade de negociar os méritos, reflita sobre o que você pode fazer para mudá-la. Se ambos os lados tiverem boas BATNAS, o melhor resultado da negociação – para ambas as partes – pode ser não fechar um acordo. Nesses casos, uma negociação bem-sucedida é aquela em que ambos os lados descobrem, de forma amistosa e eficiente, que a melhor maneira de atender a seus respectivos interesses é explorar outras possibilidades e parar de tentar chegar a um acordo.